Menu Ouça ao vivo

Fechar

  • O Grupo
  • Anuncie
  • Contato
  • Amzop decide manter decretos nos municípios

    Em nota, a entidade reafirma que seguirá as orientações no Ministério da Saúde

    A Associação dos Municípios da Zona da Produção (Amzop) reafirmou nesta quarta-feira, 25, em nota divulgada à imprensa e comunicado aos associados que seguirá as orientações do Ministério da Saúde, govenro do estado, autoridades em saúde e cientistas e deverá manter nos municípios pertencentes a associação os decretos de isolamento domiciliar e fechamento de escolas e comércio.

    Tais definições foram elaboradas na coletividade, com a presença da maioria dos prefeitos associados, ainda no dia 16 de março em reunião na sede da associação.

    Na nota o presidente da associação e prefeito de Constantina, Geri Savaris salienta o número crescente de casos e óbitos bem como a inexistência de medicamento e vacina para a doença que tem alta taxa de transmissão, o que também foi considerado para ressaltar a decisão.

    Nota da Amzop aos municípios e imprensa

    Diante da manifestação oficial do Presidente da República, ontem, em cadeia nacional, contrariando as informações e orientações do próprio Ministério da Saúde, dos Governos dos Estados e dos Municípios, a Diretoria da ASSOCIAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DA ZONA DA PRODUÇÃO-AMZOP, orientada pelo Decreto do Governo do Estado do Rio Grande do Sul e pelas autoridades da área da saúde, cientistas, profissionais médicos, especialmente, pelo Conselho Nacional das Secretarias de Saúde, da Sociedade Brasileira de Infectologia e da própria Organização Mundial da Saúde, que acompanham de forma criteriosa a evolução dessa pandemia junto ao Centro de Operações Emergenciais,

    Considerando, o aumento exponencial do número de casos no Brasil, aqui no Estado, com registro do primeiro óbito e com chances de alargar gradativamente em poucos dias, além da ausência de vacina ou medicamento para combater o COVID-19, intervenções comunitárias se tornam uma forte arma de defesa para reduzir o impacto da doença, sobretudo sua velocidade de transmissão para, desta forma, retardar a progressão da pandemia, atrasando o pico, permitindo uma melhor distribuição dos casos ao longo do tempo, inclusive para um melhor aparelhamento, evitando assim, o esgotamento dos serviços de saúde.

    Diante do exposto, DECIDE, reafirmar a continuidade das medidas adotadas pelo Governo do Estado e seguidas pelos municípios, porém, já que o Coronavírus é dinâmico, essas medidas poderão ser revistas e alteradas para mais ou para menos, a qualquer momento.

    Estamos preocupados, não podemos negar, com o futuro da nossa economia, mas em primeiro lugar, com a saúde da nossa população.

     

    Gerri Sawaris

    Prefeito de Constantina e presidente da Amzop

    Heloise Santi - Jornalismo Grupo Chiru