Menu Ouça ao vivo

Fechar

  • O Grupo
  • Anuncie
  • Contato
  • PPCIs das escolas são prioridade na atuação da CROP

    Na região da 24ª coordenadoria ainda falta a elaboração do projeto de 18 instituições

    Aprovada em 2013 depois da tragédia que matou 242 pessoas na Boate Kiss em Santa Maria a Lei que leva o nome da boate e visa a implementação do Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) entra em vigor em sua totalidade no dia 27 de dezembro de 2019. A partir desta data, todos os imóveis que não tiverem o PPCI aprovado e alvará em mãos, passam a ser considerados irregulares, passíveis de multa e fechamento.

    No Rio Grande do Sul, além de centenas de estabelecimentos ainda sem a documentação, as escolas da rede estadual tem sido motivo de preocupação do governo e das comunidades, pois nenhuma delas está com o PPCI aprovado.

    De acordo com o coordenador regional de obras, responsável pela 24ª Coordenadoria Regional de Obras Públicas (24ª CROP), Diego Bertoletti da Rocha, uma empresa havia sido contratada para a execução dos projetos, porém foram encontradas diversas falhas e a Secretaria de Educação, repassou, então, o serviço para as CROPs, que estão refazendo os projetos.

    – Haviam projetos com discrepâncias como falta de rampas de acessibilidade, hidrantes irregulares, falta de extintores, entre outros problemas, as falhas nos projetos foram identificadas em todo Rio Grande do Sul., não é um problema exclusivo da região – afirmou Da Rocha em entrevista ao programa Linha Aberta, da AM 1380.

    A 24° coordenadoria atende a 30 munícipios, totalizando mais de 110 escolas, segundo Diego, faltam 18 escolas da região para que os técnicos da CROP finalizem o levantamento. Ele ainda afirmou que após esse processo o Estado irá abrir uma licitação para ajustar e implantar o PPCI dando condições para o pleno funcionamento das escolas em 2020.

    Confira a entrevista com o coordendor da 24ª Coordenadoria Regional de Obras Públicas:

    Jornalismo Grupo Chiru